Museu de Artes Assis Chateaubriand - FURNE


Sobre

O MAAC - Museu de Arte Assis Chateaubriand de Campina Grande foi inaugurado em 20 de outubro de 1967, através da Campanha Nacional dos Museus Regionais, idealizada pelo jornalista e empresário Assis Chateaubriand, paraibano da cidade de Umbuzeiro, criador, em 1947, do MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. A Campanha foi responsável pela fundação de mais dois museus de arte no Nordeste brasileiro: o Museu Regional de Arte de Feira de Santana (1967), na Bahia e o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (1966), na cidade de Olinda. Chatô enviou, também, uma coleção para a cidade de São Luís, localizada no acervo de artes visuais do Museu Histórico e Artístico do Maranhão. São frutos, ainda, dessa campanha, no estado de Minas Gerais, na cidade de Araxá, o Museu Dona Beja (1965) e a Galeria Brasiliana (1966), na cidade de Belo Horizonte; no sul, em Porto Alegre, criou a Pinacoteca Rubem Berta, em 1967. Na cidade de Campina Grande, os preparativos para a inauguração do MAAC tiveram a frente o professor Edvaldo de Souza do Ó, então presidente e reitor da FURNe – Fundação Universidade Regional do Nordeste, instituição designada para administrar o acervo e criadora do MAAC. Edvaldo, juntamente com outras pessoas, não poupou esforços para a concretização dessa empreitada cultural. Vale ressaltar a participação, também, do paraibano Drault Ernanny e de seu primeiro diretor, Raul Córdula Filho, artista contemporâneo natural de Campina Grande. A primeira instalação do MAAC ocorreu no prédio histórico que ocupa atualmente, construído em 1924 para abrigar a primeira escola estadual da cidade de Campina Grande: o Grupo Escolar Sólon de Lucena. Edifício cuja estética aborda características estilistas do Ecletismo e Neoclássico - projeto arquitetônico de autoria do italiano Hermenegildo Di Lascio, radicado na época na cidade de João Pessoa – compondo, então, o patrimônio cultural do museu junto com o acervo de obras de arte existente. O museu foi transferido, em 1974, para o prédio que atualmente abriga o Museu Histórico de Campina Grande, passando a ocupar, em 1976, o edifício construído pela Prefeitura Municipal de Campina Grande, no Parque Evaldo Cruz (Açude Novo), com projeto de autoria do arquiteto Renato Azevedo. O MAAC voltou à primeira instalação gradativamente, a partir de 23 de dezembro de 1997, ocasião na qual se montou uma exposição de longa duração com obras da coleção enviada por Chateaubriand, se inaugurou a restauração do prédio histórico e se reabriu a primeira galeria do museu. No segundo semestre de 2007, procedeu-se a conclusão de seu retorno ao edifício do grupo escolar Sólon de Lucena, sob a administração da FURNE, agora chamada Fundação Universitária de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, exercendo o museu suas funções específicas através das atividades de expografia, documentação e pesquisa museológica, ação educativo-cultural, biblioteca, arquivo institucional (Memória do MAAC) e oficina de conservação e restauração. A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), criada com a estadualização da Universidade Regional do Nordeste (URNe), instituição que foi mantida pela FURNe, participou da direção do museu entre 1987 e 2007, permanecendo a guarda e administração do MAAC sob a gerência da FURNE, após a estadualização da universidade.

Contato

Av. Mal Floriano Peixoto, 718
Centro, Campina Grande - PB 58400-180

Traçar rota

Horas

Segunda à Sexta das 7:00 às 17:00hrs Sábado e Domingo: Fechado

Seja o primeiro a avaliar!


Contato

(83) 3341-1947


Favorite
Adicionar aos favoritos